O Tribunal Regional do Trabalho da Bahia (TRT-BA) determinou o leilão judicial de dois imóveis do ex-atacante Edilson. Além disso, o “capetinha” teve outras três residências penhoradas para quitar dívidas. O ex-jogador da dupla Ba-Vi deve mais de R$ 8 milhões em 21 ações trabalhistas envolvendo suas empresas, segundo o “Uol”.
Ainda de acordo com a publicação, a averbação da penhora dos cinco imóveis foi ordenada pela juíza auxiliar da Coordenadoria de Execução e Expropriação do TRT-BA, Carla Fernandes da Cunha. Com isso, Edilson está impossibilitado de negociar os cinco imóveis bloqueados como garantias de pagamento.
Dois desses cinco imóveis, localizados na praia de Guarajuba, em Camaçari, foram unificados e estão avaliados em R$ 1,6 milhão. Eles serão leiloados dia 2 de outubro. Caso não haja compradores, duas novas hastas públicas foram marcadas para 4 de dezembro deste ano e 5 de fevereiro de 2020.
As outras três residências precisam ser registradas em ofício para entrarem em agendamentos de leilões judiciais. O TRT-BA ainda ordenou que mais dois imóveis do ex-jogador sejam usados como garantia para a execução de ações. Porém, a juíza relatou dificuldade em enviar ordens judiciais aos moradores dos dois imóveis.
“Assim, outra solução não resta senão determinar, novamente, o arrombamento, penhora e avaliação dos sobreditos imóveis”, destacou Carla Fernandes da Cunha em despacho proferido em junho. O advogado de Edilson, Thiago Phileto, pediu a suspensão da ordem de penhora dos imóveis localizados em Camaçari, mas a Justiça indeferiu o pedido.
Ele entrou com petição argumentando que os imóveis são alvos de penhora de um processo movido por ele próprio contra o ex-jogador. Entretanto, o TRT-BA considerou que a ação movida pelo advogado foi uma tentativa de impedir que os imóveis fossem utilizados para execução de dívidas trabalhistas.

Nenhum comentário