*Escolas estaduais da capital e do interior iniciam aulas semipresenciais com rigor nos protocolos de segurança*

 


A segunda fase do ano letivo continuum 2020/21 na rede estadual de ensino foi iniciada nesta segunda-feira (26), exclusivamente para os estudantes do Ensino Médio. Após o período de aulas 100% remotas, as escolas foram abertas logo cedo para a recepção da comunidade escolar, com a observância e o cumprimento dos protocolos sanitários. Na chegada à escola, foi aferida a temperatura dos estudantes e usou-se o álcool em gel. Neste primeiro dia do ensino híbrido, também foram entregues máscaras de proteção individual e novos fardamentos, bem como ofertada uma refeição a mais.

O secretário da Educação do Estado, Jerônimo Rodrigues, recepcionou os estudantes no Colégio Estadual Maria Lopes Leal, em Nova Ibiá, onde acompanhou a agenda de entregas com o governador Rui Costa. “São 780 mil estudantes do Ensino Médio previstos para iniciar nesta data. Os outros 120 mil do Ensino Fundamental iniciaremos no dia 9 de agosto. Vamos aguardar esta semana para fortalecermos ainda mais o chamamento. E contamos com o apoio das mães, dos pais e responsáveis para que possam ir, juntos à escola, verificar os protocolos, a segurança, pois tudo foi feito com a maior atenção e cuidado para marcar esta nova fase do ano letivo, tão necessária para a aprendizagem dos nossos estudantes”, afirmou.

No Colégio Estadual Heitor Vila Lobos, no bairro do Cabula VI, em Salvador, os estudantes foram recepcionados com kits contendo novas fardas, máscaras, garrafinha de água e um guia de orientações sobre o funcionamento das aulas semipresenciais. Além disso, as merendeiras serviram, de forma segura, uma alimentação reforçada. A estudante representante do Colegiado Escolar, Hellen Blanco, 18, 1° ano, estava animada. “Estou muito feliz em retornar para a escola, pois estamos seguindo todos os protocolos sanitários e tendo aulas em segurança. Como representante estudantil, pretendo incentivar e ajudar os demais estudantes neste retorno”, afirmou.

No Colégio Estadual Azevedo Fernandes, no bairro do Pelourinho, o estudante Lucas Vitor dos Santos, 15, 1° ano, também falou sobre suas expectativas. “Acho muito importante as aulas semipresenciais, pois temos o contato direto com o professor e tiramos as dúvidas na hora. Gostei muito de rever os meus colegas”, disse. Já o professor de História, Augusto Lordão, avaliou o primeiro dia de forma positiva. “O contato com o estudante é sempre bom e importante. Espero que eles se readequem a este novo normal e que consigam se readaptar ao ensino com os protocolos sanitários”.

*Interior* - No interior, os estudantes também foram recebidos com o kit contendo garrafa de água, farda e máscara. O Colégio Estadual Professora Maria do Carmo Santana, em Aramari, é um dos exemplos. O estudante Luiz Miguel, 1º ano do Ensino Médio, 16 anos, estava ansioso para o retorno semipresencial. “Sentia muita saudade, a sensação de voltar para a sala de aula é um alívio e proporciona uma alegria muito grande”

Para a estudante Luana Novais, 17 anos, 3º ano do Ensino Médio, do Colégio Estadual Necy Novais, em Barro Alto, os colegas estão conscientes sobre a necessidade do distanciamento e da efetivação dos protocolos de segurança. “Me senti segura na escola, que está preparada. Estou adorando o retorno e vamos contribuir para tudo dar certo". É o que também acha a estudante Cassiane Souza Ferreira, 16, do curso de Edificações no Centro Estadual de Educação Profissional em Gestão e Tecnologia da Informação (CEEP) Régis Pacheco, em Jequié. "Amei a recepção, foi tudo bem organizado, teve a aferição de temperatura, uso de álcool em gel logo na chegada, todos chegaram de máscara e os professores foram na sala explicar como seria o ensino híbrido", contou.

A professora de Língua Portuguesa, Stela Pimenta, falou que tomou a primeira dose da vacina e comentou sobre o encontro semipresencial com os alunos do Colégio Estadual Justiniano De Castro Dourado, no Lapão. “É bom voltar, amo lecionar. Estava com saudades da sala de aula e da interação com eles. Os estudantes seguiram bem o protocolo, não vi aglomeração em sala, nem tive problemas com indisciplina quanto ao uso de máscara”